Pular para o conteúdo principal

Intransitividades: ensaios poéticos



Veia poética

A veia poética,adormecida até ontem,retoma seu curso,pedindo espaço,criando novas imagens,novas fronteiras.
O que antes foi um discurso circular,que acabava em si,hoje circunda minha emoção e me traz um frescor que, ainda, nem entendo.Poesia em forma de prosa,enquanto penso outros assuntos,enquanto segredo a vocês como me sinto em meus momentos.




Lágrimas de dor


Choro lágrimas de dor, não por deixar de ser quem jamais fui, 
mas por ter ocultado de mim, 
do mundo,aquilo que realmente 
me faz ser eu.
Ser, estar, permanecer, ficar...
Intransitividades da vida 
enquanto transito entre meus eus"

Descubro em mim, vivendo um cotidiano 
impensável até pouco tempo, uma força
indescritivelmente nova, avassaladora, 
que me permite voar sonhos loucos,
aventuras perigosas mas, mais que isso, 
me permite ver a mim no espelho
como me sinto, me entendo, me permito,
ser. "


Medo

Cresci com medo.
Medo de ser,estar,

permanecer,ficar

Medo 

da intransitividade da vida.

Permiti-me flutuar
Sobre a vida
Enquanto ela passava 
sob meus pés
Incólume

Mergulhei nas sombras
de minha existência
Para tentar
compreender
Minha origem
e destino

Hoje, renascendo 
das cinzas
do que um dia fui,
tento descobrir 
outro jeito 
de ser o que jamais ousei ser.

Comentários

Belos poemas e belos desenhos.

Siga nossa página